Tirando a gravidade das coisas

[Pó de Lua – Clarice Freire, 2014]

A vida nem sempre é um mar de rosas como naqueles comerciais em que as pessoas riem em fundos coloridos, enquanto os cabelos esvoaçam e tudo dá certo embalado em uma trilha bonita e muito envolvente. Sim, você terá momentos de máxima e plena alegria mas em muitos você vai chorar, se frustrar, se arrepender, aprender, sentir dor, ter medo…e tudo isso faz parte de se tornar humano. Digamos que essa é uma das etapas para crescer, amadurecer, se conhecer e assim, ficar mais sábio, ou seja, é melhor não se desesperar porque você também nunca está sozinho e a ajuda ou o desabafo podem vir de um familiar, um amigo, um conhecido ou um livro.

Foi nessa pegada que a publicitária Clarice Freire, de Recife, decidiu criar uma página no facebook, em 2011. Pó de Lua tinha como objetivo ‘tirar a gravidade das coisas’ através de textos rápidos e desenhos da própria autora, que se tornaram virais na rede social. Afinal, como não se identificar com saudade, paixão, felicidade, medo, frustração e amor próprio?

A receita infalível para entender a vida, com humor, deu tão certo que em 2014 virou livro. E não é qualquer publicação, não. É daquelas que você se apaixona só de olhar para a capa, toda preta, mas cheia de detalhes. É uma das que você coloca nas listas de presentes para todos os conhecidos por ser tão delicada, com papel que lembra as encadernações antigas de desenho e com as laterais azuis. O próprio livro é um objeto de decoração de encher os olhos.

A autora recifense vai mais além e consegue , em frases concisas e certeiras, atingir o leitor em cheio, enviando a mensagem de uma vida leve com sucesso. A delicadeza de seu pensamento, o humor sutil e os desenhos despretensiosos presentes nas 192 páginas lançadas pela Intrínseca acalmam o coração e podem ser respostas para dias tristes, em que nada faz sentido; ou ainda quando estamos enfrentando situações que nos requerem força. Pode ser também uma gota de ânimo para uma semana complicada ou a constatação que faltava para solucionar algum problema. Aqui o lema é não complicar e nem demandar energia demais para aquilo que vai se resolver em algum momento e que não merece o foco das suas atenções.

É daqueles livros para ter sempre por perto, ao alcance dos olhos e que fazem sentido em nossos muitos dilemas e fases, assim como as da lua que serviram de inspiração para Clarice. Você pode ler uma mensagem por dia ou de uma única vez, mas o importante é absorver que: percalços sempre existirão, mas que você tem a força para ultrapassá-los dentro de você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *