Um ano, Mia e seus clientes

[Série A garota do calendário – Audrey Carlan, 2016]

Se você é daquela pessoa que gosta de uma boa novela mexicana, então esta série da Audrey Carlan, que possui doze livros é para você.

Bom o resumo da estória é a seguinte: Mia precisa de muito dinheiro para pagar a dívida de um agiota que ameaça seu pai a todo o tempo e tem exatamente um ano para cumprir com todos os pagamentos, o valor dessa bolada: um milhão de dólares. Para sair desse cenário Mia decide aceitar trabalhar como acompanhante na empresa de sua tia para pagar de maneira parcelada aquilo devido por seu pai. A personagem não precisa transar com seus clientes, apenas se quiser. O plano de Mia é manter o coração selado depois de tantas decepções, cumprir suas obrigações mensais com cada cliente e pagar a dívida de seu pai. Estratégia perfeita né, se não fosse pelas peças que a vida nos prega e que com certeza vai pregar à senhorita Saunders também.

Este é um livro classificado como romance erótico e sim possui muitas cenas de erotismo e em minha opinião é uma das pouquíssimas coisas que o salvam. A autora tinha de tudo para desenvolver um enredo que prendesse o leitor, porém isso não ocorre – a personagem principal é tipo aquela personagem que resolve o problema de todos, mas não consegue resolver os delas – SIM, ela resolve e ajuda na evolução de todos os seus clientes, apenas seus conflitos internos e inseguranças é que passam a ser resolvidos a partir de meados do livro de agosto. Outra coisa irritante de Mia é que ela a todo o tempo se rebaixa por estar na posição que se encontra e se taxa de “prostituta” em diversas ocasiões.

Os personagens secundários, acreditem se quiser, são mais interessantes que a Saunders. Alguns enredos têm furos de continuidade, pois em um capítulo ela está preocupadíssima com a saúde de seu pai e nos demais está transando de maneira selvagem com um de seus clientes ou salvando a vida de um deles.

É uma série pouco interessante para quem está procurando uma leitura intensa e bem escrita, mas em contrapartida para quem quer passar o tempo, os doze livros são curtinhos, cada um tem cerca de 160 páginas, o que torna a leitura leve e rápida, eu os li com o ritmo de um livro a cada dois dias, ou seja, devorei a série.

Além da fluidez da leitura os poucos meses que valem a pena são Janeiro, Março e com algumas ressalvas o de Novembro. O último livro e o mês de fevereiro são os piores em minha opinião, pois contam com personagens superficiais – no caso de fevereiro – e com muito enredo, deixando alguns “blanks” sem preenchimento – o que acontece com dezembro. Mas de maneira geral é uma série mediana, dei 3 estrelas para quase todos eles no Skoob – e três estrelas para mim nem é bom – é total mediano. O final é bem clichê, mas já estamos acostumados, por estarmos falando de romance, certo?

Vale lembrar que mesmo com todos esses detalhes, a série possui mais de 2,5 milhões de cópias vendidas e esse número só nos Estados Unidos, ou seja, mesmo com um enredo “OK” é um sucesso.

Mais uma vez, se você é fã de estórias como as da Maria do Bairro e Mari Mar, vai com tudo e tenho certeza que terá uma opinião diferente da minha. Se você já leu, conta para gente o que achou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *